Morre Ennio Morricone, gênio das trilhas de cinema

Morre Ennio Morricone, gênio das trilhas de cinema

Maestro italiano ganhou duas estatuetas do Oscar e criou canções para clássicos da telona

Não importa a sua idade, certamente você já assistiu a um ou mais filmes em que Ennio Morricone emprestou seu talento.

Nascido em 1928, em Roma, ele começou a compor aos seis anos. Aos 33 anos, estreava no cinema com a música de “O Fascista”, de Luciano Salce.

Com o diretor  Sergio Leone e o “spaghetti western” viria a fama. Entre suas mais de 500 trilhas sonoras, incluindo cinema e TV, destaques para filmes como “Três Homens em Conflito”, “A Missão”, “Era uma Vez na América”, “Os Intocáveis” e “Cinema Paradiso”, entre outros.

Em 2007, Morricone recebeu o Oscar honorário pelo conjunto de sua obra. Sua segunda estatueta viria em 2016, com a trilha sonora de “Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino, fã confesso de seu trabalho. Ennio Morricone também contabiliza dezenas de outros prêmios, incluindo Globos de Ouro, Grammys e BAFTAs.

O maestro morreu na segunda (6), aos 91 anos. Ele estava há 10 dias internado em uma clínica em Roma após sofrer uma queda e fraturar o fêmur. Como último ato, escreveu seu próprio obituário.

Carlos Guerra /  Música num Clique

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.